sexta-feira, setembro 30, 2005

Pulgosos, por Eugénio Queiroz

Um artigo de Eugénio Queiroz, sempre uma voz contra a corrente quando toca a falar de futebol, que descaradamente roubo, eu que ao que parece também não passo de um "pulgoso" (Deus queira!). (tambem interessante a análise ao jogo)

Pronto, o FC Porto teve um acidente de percurso - e só foi isso que aconteceu - e aí temos rios de baba e de ranho a correr. Era previsível. Este FC Porto com este treinador estava a incomodar. O FCP é aquela equipa que nas competições europeias costuma somar pontos que garantem vagas para as outras equipas portuguesa, não é aquela equipa que fora não ganha um jogo europeu desde 1993... Quanto a Adriaanse, é sem dúvida uma lufada de ar fresco no nosso podre e acomodado futebol, onde normalmente os treinadores não opiniam com medo dos patrões. Estou admirado por não ter aparecido ainda o senhor José Pereira a perguntar se o homem tem carteira profissional! Mister Co, que se lê cu, tem os seus problemas como todos os outros mas, caramba, basta ouvi-lo falar para se perceber que é um treinador que pensa o jogo, que pensa o que diz e que não está hipotecado a ninguém. Ele quer um futebol de ataque, já era assim no AZ, porque não pode ser no FC Porto? Devíamos era aplaudi-lo. Mas não. Após um jogo incrível, aí estão os ranhosos do costume armados em cães com pulgas, com um discurso do tipo "eu tinha avisado, era ataque a mais". Meus amigos, não há pachorra. Vão-se catar. Ou atirem-se para o divã do psicanalista - as frustrações e as paranóias podem ser resolvidas com terapia.

Selecção Sub-19: Luxemburgo 0-3 Portugal

Portugal atingiu ontem o seu objectivo, pois ao vencer a equipa anfitriã, qualificou-se para a segunda fase de apuramento para o Europeu da categoria.
Os jogadores do FC Porto (oito no onze inicial!!!)contribuiram com duas assistências e dois golos. No primeiro golo João Pinhal centra para a finalização de Helder Barbosa. O Segundo golo é obtido pelo central João Pedro após a cobrança de um canto por parte de Bruno Gama. O resultado final seria obtido com um "golão" da autoria de Feliciano Condesso.

GR: Igor Araújo
DLD: João Fonseca
DLE: André Marques (Antunes)
DC: Fábio Ervões; João Pedro (Bruno Pinheiro)
Mdef: Nuno Coelho (Rui Gomes)
MC: Feliciano Condesso; João Pinhal
MAD: Bruno Gama
MAE: Helder Barbosa
PL: Zéquinha

quinta-feira, setembro 29, 2005

FC Porto 2-3 Artmedia Bratislava

Com o primeiro golo do adversário, surgiu algo que é sempre fatal em competição: o medo. Pode falar-se da defesa, do sistema excessivamente ofensivo ou do que se quiser, mas o motivo da derrota foi esse e mais nenhum. Parabens ao Artmedia, uma equipa corajosa que soube aproveitar o medo adversário para conseguir uma vitória histórica.

GR Vítor Baía
DLD Bosingwa
DC Ricardo Costa «cap.» (Alan, 76), Bruno Alves
DLE César Peixoto
M Ibson, Lucho González
Mof Diego (Hugo Almeida, 76)
MAE Quaresma
PL McCarthy
MAD Jorginho
Não utilizados: Paulo Ribeiro, Lisandro Lopez, Pepe, Paulo Assunção e Marek Cech
Treinador: Co Adriaanse

quarta-feira, setembro 28, 2005

sub-15: Valadares 0-3 FC Porto "B"

A equipa B dos iniciados portistas bateu o Valadares por 3-0.

GR Ricardo
DLD Paulinho
DC João Reis, Zé
DLE João Pinto
Mdef Lopes
Mdir Luis Paulo
Mesq Ricardo
Mof Ricardinho (Rui "Piolho")
AV Pedro Gomes, Marco

golos: Lopes, Rui "Piolho", João Reis

Selecção Sub-19: Portugal 5-1 Azerbeijão

Portugal goleou e cumpriu o seu dever perante um adversário de menor nomeada. Espera-se o mesmo para amanhã frente à selecção luxemburguesa.
O ponta-de-lança sportinguista Tó Mané bisou, tendo Antunes contribuido com mais 2 golos. O azarado Abushev ajudou à festa portuguesa marcando na sua própria baliza.

GR Igor Araújo
DLD Gilberto Silva
DLE André Marques
DC João Pedro; Fábio Ervões
MDef Nuno Coelho
MC Bruno Santos; Antunes (João Pinhal)
MAD Bruno Gama (Rui Gomes)
MAE Hélder Barbosa (Zequinha)
PL Tó Mané

segunda-feira, setembro 26, 2005

Lamego 0-2 FC Porto B

Em folga no nacional da II divisão, a equipa B portista foi a Lamego derrotar a equipa local, em jogo amigável. Destaque para a presença de diversos juniores, aproveitando a paragem no respectivo campeonato. Os golos foram apontados por Marco Paixão e Nuno Coelho.

GR André Queiróz
DLD João Dias
DC Steve Victória, Leandro (Nuno Coelho)
DLE Jorge Lopes (C) (Paulo Jorge)
M Espinho, André Leão, Márcio Sousa (Fabinho)
MAD Tiago Borges (Daniel Candeias)
MAE Flávio Paixão (João)
PL Marco Paixão (Roberto)
Outros convocados: Hugo Marques

sub-17: Leixões 3-1 FC Porto

A equipa de juvenis do Leixões, que conta nos seus quadros com sete jogadores dispensados do FC Porto (e que poderão regressar, de acordo com o protocolo entre os clubes) mostrou que a boa performance a época passada não foi um acaso.
O Porto mereceu a derrota. Entrou a querer jogar um futebol trabalhado sem ter em conta as reduzidas dimensões do relvado. O leixões com um futebol directo e a explorar a velocidade do seu contra ataque marcou 2 golos na primeira parte e foi, justamente, para o intervalo com 2-0. Na segunda parte o Porto passou a jogar melhor, com um futebol idêntico ao do adversário e equilibrou a partida, mas sofreu o terceiro golo. Acabou a pressionar e chegou mesmo a reduzir para 3-1, por Mohamed. Ainda na primeira parte houve um lance de possivel grande penalidade a favor do Porto que o arbitro não assinalou, estava o resultado em 2-0.
Um resultado que coloca algumas duvidas ao processo de selecção dos jogadores... ou a prova de que quando uma equipa luta por provar algo, tudo pode acontecer!

FC Porto

GR Rui Alves
DLD Valter
DC Carlos Santos, Pereira
DLE Hugo Silva
M Tengarrinha, Magalhães, Jonathan, Elisio
AV Mohamed, Graça

Leixões

GR Branco
DC Magalhães, Esperança, Nuno e Sonié
M Bessa, Cardoso, André Simões e Gonçalo
AV Cacheira e Cintra
(a bold jogadores com ligação ao FC Porto)

sub-15: FC Porto 1-0 Pasteleira

Os iniciados portistas venceram o Pasteleira, por 1-0.

GR Fernando Paulo
DLD João Reuss
DC Eduardo (João Alves, 60), Bruno Gomes
DLE Pedro Nuno (=Pedro Branco?) (Mauro, 36)
M João Ricardo, Ricardo Cardoso, Jefferson (Rui ?, 36), Filipe Espincho (Valter, 66)
AV Caetano, Leandro (Sérgio, 36)

FC Porto 2-0 Belenenses

A primeira muralha do "covil do Dragão", que ficou arrasado na época passada, está construida, com a vitória no jogo de apresentação e nos 3 primeiros jogos em casa. Este desafio, contra o Belenenses, era importante por anteceder a visita do benfica e por ser contra um adversário com a cotação em alta. Para mais, há jogo da Champions na quarta-feira, o que no passado significou muitas vezes deslize. A resposta foi simplesmente excelente! Destaque para o golo de McCarthy, para o (bom!) regresso de Bosingwa e para a (boa!) estreia de Quaresma a titular. Foram dois jogos sem sofrer golos, que coincidiram com os dois primeiros jogos de Bruno Alves, muito mais maduro depois da passagem pela Grécia.


GR Vítor Baía
DLD Bosingwa
DC Ricardo Costa «cap.», Bruno Alves
DLE César Peixoto
M Ibson, Lucho Gonzalez e Diego (Alan, 75)
MAD Quaresma (Lisandro Lopez, 81)
PL McCarthy (Hugo Almeida, 75)
MAE Jorginho
Não utilizados: Paulo Ribeiro, Raúl Meireles, Paulo Assunção e Marek Cech

quinta-feira, setembro 22, 2005

sub-17: Oito portistas convocados

A convocatória para o ultimo estágio de preparação antes do apuramento para o campeonato da europa conta com oito portistas, com destaque para as estreias de Elisio e de Marco Aurélio "Açores".

Aqui fica a convocatória completa:

A Académica C: Galvão
Boavista FC: Alexandre Sá, Hugo, Pedro Moreira e Ricardo Neves;
CF 'Os Belenenses': Fábio Dinis;
FC Porto: André Pereira, André Pinto, Carlos Santos, Elísio, João Magalhães, Marco Aurélio "Açores", Ricardo Santos e Valter Fernandes
SC Braga: Stélvio Cruz;
SC Farense: Francisco Maia;
SL Benfica: André Carvalhas, Miguel Rosa, Romeu e Rúben Lima;
Sporting CP: André Martins, Adrien Silva, Bruno Matias, Jorge Abreu e Rui Lopes;
Vitória FC (Setúbal): Diogo Viegas.

sub-20: Portugal terceiro no torneio internacional de Viseu

A selecção Portuguesa sub-20 concluiu o torneio internacional de Viseu em terceiro lugar, com um empate frente à Polonia e uma vitória sobre Malta. Neste segundo jogo entraram de inicio os oito portistas convocados. O central Nuno André Coelho foi o unico a jogar 180 minutos.

Portugal 1-1 Polónia (2-3 gp)

GR Hugo Marques (Mário Felgueiras, 45')
D Vasco Fernandes, Paulo Monteiro, Nuno André e Tiago Gomes
M André Leão, Fernando (Paulo Machado, 45') e João Coimbra (Hugo Monteiro, 60’)
AV Vilela (Vieirinha, 45’), Ricardo Té e João Moreira (Nuno Curto, 45’)
golo: Ricardo Té

A equipa lusa iniciou bem o jogo criando oportunidades para marcar, mas foi a Polónia que, aos 10 minutos, criou maior perigo atirando uma bola ao poste direito da baliza à guarda de Hugo Marques, depois de um alívio da defesa portuguesa.
A primeira parte foi marcada pelo ascendente luso, com Moreira, Ricardo Té e Vilela a não serem eficazes em algumas ocasiões, e no final do primeiro, aos 44 minutos, Dawid Plizga colocou a Polónia en vantagem. Num lance de contra-ataque bateu o desamparado guardião luso levando a sua equipa em vantagem para o descanso.
Para a segunda metade Rui Caçador fez entrar alguns jogadores e a equipa demonstrou disponibilidade para dar a volta ao resultado. Depois de muito atacar, aos 76 minutos, Ricardo Té, aproveitou alguma atrapalhação da defensiva polaca, após um cruzamento de Tiago Gomes pela esquerda, e atirou forte para a baliza repondo a igualdade no marcador. Portugal intensificou a pressão e a bola passou a ser jogada mais perto da área polaca, mas o apito final soou sem alterações no resultado.
Na “lotaria” das grandes penalidades Mário Felgueiras, com uma bela estirada, evitou que a Polónia marcasse, mas Vieirinha também não foi feliz e permitiu igualmente a defesa do guardião polaco. Ricardo Té e Paulo Machado não perdoaram, mas na quarta grande penalidade Hugo Monteiro atirou por cima. Dawid Plizga mostrou frieza e marcou a grande penalidade decisiva levando a Polónia para a final.


Portugal 2-0 Malta

GR Mário Felgueiras (Hugo Marques, 89’)
D João Dias, Nuno André, Vítor Alves e Jorge Lopes (Tiago Gomes, 58’)
M Paulo Machado (Hugo Monteiro, 45’), André Leão (Fernando, 75’) e João Coimbra (Ricardo Té, 45’)
AV Vieirinha (Vilela, 63’), Yannick Djaló e Manuel Curto (João Moreira, 45’)
golos: Ricardo Té e Yannick Djaló

O jogo iniciou-se com a maior iniciativa de jogo a pertencer à equipa lusa. Aos 7 minutos Vieirinha colocou em sentido o guardião de Malta cobrando bem um livre a castigar falta sobre Yannick Djaló. A equipa lusa recorreu à meia distância para criar perigo, mas os remates de Manuel Curto, por duas vezes, João Coimbra, Vieirinha e Paulo Machado, também por duas vezes não levaram a melhor direcção. No primeiro tempo o guardião luso, Mário Felgueiras, foi um mero espectador.
Para a segunda metade o Técnico Nacional, Rui Caçador, operou três substituições e fez entrar um onze mais ofensivo, apresentando cinco jogadores com características ofensivas.
Perante a inoperância atacante da formação de Malta a equipa lusa arriscou mais e aproximou-se ainda mais na área contrária e logo aos 51 minutos as alterações deram resultado. Yannick Djaló cruzou da direita e Ricardo Té, ao segundo poste, rematou de cabeça, de cima para baixo, fazendo a bola passar por cima do guarda-redes de Malta, abrindo assim a contagem.
Após o golo, Portugal que manteve sempre uma toada atacante, continuou a tentar ampliar a vantagem. À passagem do minuto 69, a equipa lusa dispôs de três oportunidades seguidas de ampliar a vantagem. Primeiro Yannick Djaló cabeceou à barra e na recarga Nuno André atitou forte a roçar a barra. Após a reposição em campo, Portugal recuperou a bola e rematou com muito perigo, mas não conseguiu bisar.
Ao minuto 89, Vilela atirou de cabeça e acertou na barra, após um pontapé de canto marcado pela direita por Hugo Monteiro. No mesmo minuto Yannick Djaló apareceu isolado na cara do guardião adversário e só teve de desviar a bola para ampliar a vantagem para 2 – 0.

terça-feira, setembro 20, 2005

sub-16: Padroense 6-0 Canidelo

O Padroense iniciou a época com o pé direito ao golear em casa o Canidelo, com Fernando a ser o que mais se destacou, ao sair do banco para apontar 3 golos. Os restantes foram de Vitinha, Matos e Pedro Antunes (g.p.).

GR Leonardo
DLE Vitor Bruno
DLD Fabio Vieira
DC Duarte, Pedro Rodrigues
Mdef Daniel
Mdir Jonathan (Tiago Lopes)
Mesq Ricardo Carvalho "Cenoura"
Mof Pedro Antunes
AV Vitinha (Fernando), Matos (Josué)
Outros convocados: Hugo (GR do Padroense B), João Garcia(DC), Pedro Sabino (DLE), Mortágua (Mdef)

Furtado ainda ligado ao FC Porto?

"... cinco (golos) dos quais do surpreendente Furtado, jovem emprestado pelo F.C. Porto aos búlgaros do Vihren." in maisfutebol

Vieirense 0-1 FC Porto B

O FC Porto B foi a Leiria vencer um encontro amigável com o Vieirense, com os manos Paixão em evidência. Flávio Paixão marcou o golo da vitória e Marco viu o seu anulado, falhando ainda outras duas oportunidades. Destaque para a presença de Hugo Monteiro, ele que fez toda a pré-época na equipa B, e pôde demonstrar a sua polivalência jogando em ambas as alas. Por fim, nota para a presença de dois Brasileiros, à experiência, no ataque durante a ponta final do desafio.

GR André Queiroz
DC Nuno André e Vitor Alves
DLD Hugo Monteiro (Victor Hugo)
DLE Daniel Marques (Hugo Monteiro)
M Duarte (Samarra), Espinho e Tiago Borges (Brasileiro à experiência nº1)
MAD David (Zequinha)
MAE Flávio Paixão (Brasileiro à experiência nº2)
PL Marco Paixão (Kleberson)

O FC Porto B venceu por 1-0 na deslocação a Vieiria de Leiria, onde defrontou o Vieirense, em partida da carácter amigável. O golo dos azuis brancos, que coroou uma exibição segura do conjunto orientado por Aloísio, foi apontado por Flávio Paixão, atleta proveniente do Sesimbra que no início da temporada se transferiu para a equipa azul e branca. fcporto.pt

segunda-feira, setembro 19, 2005

sub-15: Leixões 1-4 FC Porto

Jogando fora contra um adversário forte, os miudos portistas entraram melhor no jogo e dominaram toda a primeira parte, marcando dois golos. O Leixões reagiu bem e conseguiu mesmo reduzir, mas o FC Porto voltou à carga para fechar o resultado final, 1-4, com golos de Caetano, Jefferson, Filipe e Leandro.

GR Fernando Paulo
DLD João Reuss
DC Eduardo, Bruno Gomes
DLE Pedro Branco
Mdef João Ricardo
Mesq Jefferson
Mdir Ricardo Cardoso
Mof Filipe Espincho
AV Leandro e Sérgio
Jogaram ainda: Paulinho, Zé Pedro, Rui Caetano, Luis Paulo (4??)

Braga 0-0 FC Porto

O FC Porto perdeu os primeiros pontos da temporada no dificil terreno do Braga. Durante a primeira parte chegou a dominar a partida, mas a segunda foi bem mais equilibrada e qualquer dos lados poderia ter vencido. Co Adriaanse agitou as águas com um agressivo 3-5-2 final, mas sem conseguir encostar o Braga às cordas. Destaque para a estreia de Ivanildo este ano, com um bom contributo para manter a bola proxima da área do Braga e também para a presença de João Pedro no banco. É o primeiro da equipa B a consegui-lo, aproveitando a hecatombe no posto mas também a confiança de Co Adriaanse.

GR Vítor Baía
DLD Sonkaya (Hugo Almeida, 77)
DC Ricardo Costa, Bruno Alves
DLE César Peixoto
M Ibson e Lucho González
Mof Diego (Ivanildo, 77)
MAD Jorginho
PL McCarthy
MAE Alan (Quaresma, 68)
Não utilizados: Paulo Ribeiro, Marek Cech, João Pedro e Paulo Assunção.

sub-19: FC Porto 11-1 Chaves

A equipa junior do FC Porto deu a melhor resposta à derrota no passado fim de semana frente ao Leixões goleando o Chaves, com Rui Pedro e André Monteiro, dois jogadores em grande forma neste inicio de época, a marcarem alternadamente os primeiros cinco golos. Ainda antes de terminar a primeira parte Marcelo Santiago iria marcar o sexto. Para a segunda parte, o treinador Luis Guilherme fez entrar Daniel Candeias para o lugar de Leandro, ficando todo o eixo defensivo entregue ao autoritário Steven Vitória. E Candeias fez questão de assinalar o regresso após prolongada lesão (começou a treinar há pouco mais de uma semana) com o sétimo golo. A contagem ficariam completada com golos de Steven, Roberto e dos inevitáveis André Monteiro e Rui Pedro. O Chaves jogou sempre aberto e bem mereceu o tento de honra.

GR Igor Araujo
DLE Paulo Jorge
DC Steven, Leandro (Daniel Candeias, 46)
DLD André Santos
Mdef Fábio
M Castro, João Ribeiro (Miguel Ângelo, 65)
Mof Rui Pedro
AV André Monteiro, Marcelo Santiago (Roberto, 65)

sub-17: FC Porto 2-0 Pasteleira

O FC Porto somou a terceira vitória em 3 jogos nacional de juvenis, ao derrotar o Pasteleira. O primeiro golo foi de Mohamed, stricker contratado ao Alverca, que fintou um defesa dentro da área e fuzilou. O segundo foi do polivalente Valter Fernandes, que encostou ao segundo poste um canto que a defesa não conseguiu interceptar. (Na ficha de jogo, ambos os golos foram atribuidos a Mohamed)

GR Rui Alves
DLE Hugo Silva
DC André Pinto, Pereira
DLD Valter Fernandes
Mdef Jonathan
Mint Ricardo Santos "Russo", António Graça (Marco Aurélio "Açores", 65)
MAE Elisio (Renan, 56)
MAD João Magalhães
PL Mohamed (Fernando Caldas, 74)

sub-15: FC Porto "B" 3-0 Canidelo

A equipa B dos iniciado portistas iniciou com uma vitória a participação no distrital. O jogador mais em destaque foi Ruizinho "Piolho" que marcou um golo e sofreu a falta que originou um penalty, dando origem a outro. João Alves e Mauro marcaram os outros dois, de penalty.

GR Tiago Arantes
DLD Nuno
DC Mauro, João Pedro Reis
DLE João Pinto
Mdef Lopes
Mdir Tomé Rebelo
Mesq João Alves
Mof Ruizinho "Piolho"
AV Rui Santos, André Claro
suplentes: João Amorim, Tiago, Tiago Xavier, Rafael, Flávio, Marcos

domingo, setembro 18, 2005

Notícias Breves

  • O FC Porto que hoje irá defrontar o Sporting de Braga, já anunciou a convocatória para o jogo. Surpreendentes as inclusões de Hugo Alemeida que conseguiu, ao que parece, recuperar da lesão. Apesar de Co Adrianse ter confirmado anteotem em conferência de imprensa que o avançado não iria ser convocado, a verdade é que foi e Benni McCarthy já não tem tantas certezas assim de que vai jogar. João Pedro, jovem da equipa B foi também chamado como 3º central dadas as lesões de Pepe, Pedro Emanuel e Jorge Costa.
    A convocatória completa é: Vítor Baía, Paulo Ribeiro; Sonkaya, Ricardo Costa, Bruno Alves, João Pedro, Marek Cech, César Peixoto; Ibson, Lucho González, Diego, Paulo Assunção; Jorginho, Alan, Quaresma, Hugo Almeida, Hélder Postiga, McCarthy, Ivanildo.
  • O nosso clube assegurou a manutenção de dois juniores de 1º ano que actuaram na Milk Cup. Rui Pedro (avançado) e André Castro (médio) renovaram com os dragões por mais 5 anos (até 2010). Para além disso, os azuis e brancos contrataram o jovem médio do Nacional da Madeira, Alex que irá integrar a equipa de Inciados.

P.S.: Já estão disponiveis os bilhetes para os jogos contra Belenenses, Artmedia e Inter de Milão. Para comprar os seus bilhetes ou ver apenas os preços clique aqui.

sexta-feira, setembro 16, 2005

Prospecção: a importância dos "bufos"

Na prospecção, é uma clara vantagem competitiva dispor de fontes no interior dos pequenos clubes: "inside-info" ou, em calão, "bufos". Aqui fica uma conversa que tive com um antigo olheiro:
Em Lisboa uma tremenda vantagem que o Sporting e, pós-Carraça, o Benfica têm é que há sempre um treinador (seja de juniores, juvenis, infantis, o que seja...eles falam entre eles) um dirigente, um "velhote que não perde os jogos do clube de bairro", um dono de um tasco típico de um clube de bairro que tem o número de telefone de alguém do SCP ou SLB. Sem isso é necessário andar "à pesca", ver jogos e fazer figas que alguém jogue alguma coisa nesses jogos, enquanto estes tipos têm os "bufos" lá metidos que lhes telefonam e lhes dão um toque do género: "aqui a malta pensa que o nº8 dos juvenis...um tal de Vasquinho é jeitoso". Se o "Vasquinho" até for jeitoso...esse "bufo" ganha uma qualquer benesse (bilhetes, equipamentos, etc).
Ter "bufos" é essencial! Aliás é aí que reside o segredo. Um "bufo" que te chama constantemente para ver "merda" não serve...agora aqueles que acertam mais que erram...deviam era ter bilhete de época!!
Neste contexto é interessante referir a contratação por parte do SL Benfica de Ricardo Tavares para coordenador da prospecção. Este senhor era até agora técnico do SC Salgueiros, o clube a quem o mesmo Benfica desviou dois jogadores.

sub-17: Elisio, um portista na ala esquerda

O jogador que há mais tempo está no clube de entre os que fazem parte da equipa A juvenil é Elisio, que joga no Porto desde os sete anos. Trata-se de um extremo esquerdo rápido e tecnicista, muito forte no um contra um. Quanto a comparações com séniores, apenas diz que pressiona como o Derlei! Foi chamado por várias vezes à selecção da AF Porto mas acabou preterido do Lopes da Silva e continua a trabalhar em busca da primeira chamada aos trabalhos das selecções nacionais, enquanto na equipa portista conseguiu iniciar a época como titular na ala esquerda do ataque, ele que tem tambem polivalência suficiente para ocupar qulquer lugar no lado esquerdo do campo.

Elisio José Oliveira Esteves
extremo-esquerdo (médio esquerdo/lateral esquerdo)
dn 5/5/1989
1.68 m
58 kg
canhoto

sub-20: Oito portistas no torneio internacional de Viseu

O FC Porto manteve oito portistas nos convocados da selecção sub-20, mas em relação ao primeiro estágio de preparação são de registar as saídas de Rui Sacramento e de Márcio Sousa e as entradas de Vieirinha e de Nuno André, defesa central da equipa B. Preocupante o progressivo apagamento de Márcio, quer no clube quer na selecção nacional.

Boavista FC – Hugo Monteiro;
Bolton Wanderers FC – Ricardo Té;
Casa Pia AC – Yannick Djaló;
CF Estrela da Amadora – Paulo Machado;
FCG Bordeaux – Vasco Fernandes;
FC Marco – Vieirinha;
FC Porto – André Leão, Hugo Marques, João Dias, Jorge Lopes, Nuno André e Vítor Alves;
Rayo Vallecano – João Moreira;
SC Braga – Paulo Monteiro;
SC Espinho – Mário Felgueiras;
SL Benfica – Fernando, João Coimbra, Manuel Curto, Tiago Gomes e Vilela.

quinta-feira, setembro 15, 2005

sub-19: Alemanha 2-0 Portugal e europeu

O FC Porto perdeu com a Alemanha em jogo de preparação para o primeiro mini-torneio de apuramento:

GR Igor Araújo (Ricardo Janota, 45’)
DLE Gilberto Silva (João Fonseca, 80’)
DC João Pedro, Fábio Ervões (Bruno Pinheiro, 45’)
DLD André Marques
M Nuno Coelho, Feliciano Condesso (Bruno Santos, 80’), Antunes (João Pinhal, 73’)
AV Bruno Gama (cap.), Hélder Barbosa (Julien Araújo, 65’) e António Ferreira

A convocatória para o torneio já saiu, com o FC Porto a contar com 8 dos 18 convocados, sendo seis prováveis titulares, como se viu no jogo de preparação.

Boavista FC: Gilberto Silva e Rui Gomes;
CF E. Amadora: Bruno Santos;
FC Porto: Bruno Gama, Fábio Ervões, Hélder Barbosa, Igor Araújo, João Pedro Silva, João Pinhal, Nuno Coelho e Zéquinha;
RC Lens: Julien Araújo;
SC Freamunde: Antunes;
SL Benfica: João Fonseca e Ricardo Janota;
Southampton FC: Feliciano Condesso;
Sporting CP: André Marques e Paulo Renato.

quarta-feira, setembro 14, 2005

Glasgow Rangers 3-2 FC Porto

A equipa, muito jovem e completamente nova, do FC Porto foi a que mais quis ganhar o jogo, atacou muito mais e marcou dois golos, mas acabou derrotada. Há porém duas coisas que nada tem a ver com azar: a ausência da McCarthy e a lesão de Sokota. Ambas, infelizmente, muito previsiveis...
Fomos autoritários em pleno território inimigo, jogamos com ambição e alegria, até ao fim. Está dificil, mas sinto que não vamos ser eliminados.

Gostei de Adriaanse e de Pepe. O primeiro golo, com erros, é um grande golo. No segundo golo, a culpa é 80% do árbitro e 20% do Baía. No terceiro golo, Pepe, inferiorizado fisicamente, estava a marcar o adversário, salta com ele, e este cabeceia para o ar e de costas. A maior parte destes remates são canja para o guarda redes, mas este saiu colocadissimo e Baía estava adiantado. Na minha terra chama-se um grande chouriço. Por isso, continuo a acreditar!

GR Vítor Baía
DLD Pepe (Sonkaya, 41)
DC Ricardo Costa, Pedro Emanuel «cap.» (Pepe, 41)
DLD César Peixoto
M Ibson, Lucho Gonzalez e Diego (Quaresma, 65)
MAD Jorginho
PL Sokota
MAE Alan (Hugo Almeida, 65)
Não utilizados: Paulo Ribeiro, Lisandro Lopez, Paulo Assunção e Marek Cech

terça-feira, setembro 13, 2005

Emprestados FCP: Paulo Machado dá o mote

Paulo Machado pegou na bola a meio campo, fintou três adversários e fuzilou para golo. Um candidato a melhor golo da Superliga! É ele o jogador em destaque entre os emprestados portistas. Bruno Vale continua titular na mesma equipa, e voltou a fazer excelente exibição. Marcos António continua de pedra e cal no eixo da defesa do Gil Vicente e talvez tenha uma chance de regressar, se repetir exibições como a que fez contra o Benfica. Pedro Oliveira estreou-se na titularidade no Setubal e fez exibição agradável, assim como Areias no Boavista e Marco Ferreira no Penafiel. O Marco, a equipa mais portista da Liga de Honra, voltou a empatar, com Pedro Ribeiro a manter a titularidade e Gonzalo Marronkle a estrear-se, enquanto Vieirinha não jogou por ter visto um cartão vermelho na jornada anterior. Rodrigo Ângelo foi titular no primeiro jogo do Desportivo de Chaves, enquanto Victor Silva não fez parte dos convocados no Santa Clara. O Tourizense empatou 1-1 com o Rio Maior e mantém a liderança da Série C da 2ª Divisão. Sandro e o Ricardo Costa jogaram os 90' e fizeram uma boa exibição, como de resto toda a equipa.

segunda-feira, setembro 12, 2005

sub-16: Padroense vence torneio do Nogueirense

O Padroense, equipa B do FC Porto no escalão de juvenis, venceu o torneio do Nogueirense. Os destaques vão para Fábio Duarte, Fábio Vieira e "Cenoura", os unicos a repetir a titularidade nos dois jogos, e para Vitinha, que com dois golos passou o resultado de 1-2 para 3-2, tornando-se crucial na vitória da sua equipa. Pedro Rodrigues e Daniel foram poupados no segundo jogo por irem juntar-se ao estágio da selecção nacional sub-16.

Padroense 2-0 Maia

GR Leonardo
DLE Vitor Bruno
DC Fábio Duarte, Pedro Rodrigues
DLD Fábio Vieira
Mdef Helder
M "Cenoura", Daniel
Mof Jonathan
AV Fernando, Matos
Os golos foram de Daniel e na p.b.

Padroense 3-2 Nogueirense

GR Roberto (do FC Porto, juvenis A)
DLE Pedro Sabino
DC Fábio Duarte, João Garcia
DLD Fábio Vieira
Mdef Mortágua
M "Cenoura", Pedro Antunes
Mof Mialongi
AV Vitinha, Fábio Ferreira
Os golos foram de Fábio Ferreira (1) e Vitinha (2).

sub-17: FC Porto 2-0 Espinho

Os juvenis portistas somaram a segunsa vitória na sua série, ao derrotar o Espinho com dois golos sem resposta. Nuno Freitas "Turco" marcou de grande penalidade e Ricardo Santos "Russo" fechou a contagem durante a segunda parte, num lance onde recuperou uma bola no meio campo, passou a Mohamed que ganhou a linha de fundo e cruzou atrasado, para a conclusão do mesmo Russo!

GR Rui Alves "Tino"
DLE Hugo Silva
DC Carlos Santos, Pereira
DLD Carlitos
M Fábio Miguel "Caracol" (Ricardo Santos "Turco"), António Graça, Michael Pereira
MAE Elisio (Coelho)
MAD Nuno Freitas "Turco" (Marco "Açores")
PL Mohamed

Aliados de Lordelo 1-1 FC Porto B

Para o seu primeiro jogo fora, Aloisio ensaiou um 4-3-1-2 sem ponta de lança, com poucos resultados práticos.

GR Hugo Marques
DLD João dias
DC Vitor Alves, João Pedro
DLE Jorge Lopes
M Nuno Coelho, André Leão, Márcio Sousa (Espinho, 70)
Mof Bruno Gama
AV David (Flávio Paixão, 73), Helder Barbosa (Tiago Borges, 87)
não utilizados: André Queirós, Marco Paixão, Zéquinha

Foi com uma igualdade a um golo que a equipa do Aliados de Lordelo assinalou o seu regresso à 2º Divisão nacional, 35 anos depois. O jogo em si foi bastante movimentado, com varias ocasiões de golo, tendo pertencido aos locais o maior quinhão. Aos 25 minutos de jogo, Leandro foi derrubado dentro da área por Leão Pedro, tendo o juiz da partida assinalado a consequente grande penalidade, que Bezu transformou.Os pupilos de Aloísio reagiram, mas até ao intervalo não conseguiram lograr os seus intentos.Na segunda parte, o ritmo do jogo não se alterou. Com jogadas de parada e resposta as ocasiões de perigo sucediam junto das duas balizas, até que ao minuto 85, a equipa portista beneficiou de livre, que Vítor Alves de cabeça deu a melhor sequencia. A igualdade aceita-se, portanto. De registar erros do árbitro em prejuízo da equipa local. Fernando Gonçalves, JN

domingo, setembro 11, 2005

sub-19: Leixões 1-0 FC Porto

O Leixões conseguiu importante vitória sobre um FC Porto mais ofensivo, que pode queixar-se da sorte. Pouco depois do treinador portista, José Guilherme, arriscar um esquema de 3 defesas, o Leixões marcou e conseguiu resistir até final. Pedro Sá, emprestado ao Leixões pelo FC Porto, entrou na segunda parte e jogou bem, quase marcando.

GR Hugo Ventura
DLD Tiago Moreira (Marcelo Santiago, 56)
DC Leandro Pinhal, Steven Vitória
DLE Daniel (Paulo Jorge, 46)
Mdef João Pinhal
M Castro, Miguel Ângelo (Samarra, 46)
Mof Rui Pedro
AV Roberto, André Monteiro

O Leixões arrancou um saboroso mas injusto triunfo ao F. C. Porto, por força do equilíbrio que pautou todo o encontro, mas merecido pela eficácia demonstrada na hora da verdade. Numa primeira parte a apelar à sonolência não se vislumbrou nem sequer um esboço de uma oportunidade de golo, apesar da emotividade e da competitividade. Intervalo e a toada ameaçava manter-se. Até que num erro defensivo dos azuis-e-brancos, Diogo com um grande golpe de cabeça, após bom cruzamento de Tiago Rocha, mudou o rumo do encontro. Os dragões naturalmente reagiram, mas o coração mandou mais do que a cabeça. Arbitragem razoável. Jornal de Noticias

FC Porto 3-0 Rio Ave

Uma vitória importante, sofrida mas merecida. Alan começa a ser mais que uma opção interessante. Co Adriaanse tem "cojones"! Para insistir em McCarthy, para excluir McCarthy, para jogar mesmo ao ataque. Depois do Naval pensei "Se resistir aos proximos 2 meses, temos homem.". Começou bem!

GR Vítor Baía
DLD Sonkaya
DC Ricardo Costa, Pedro Emanuel «cap.»
DLE César Peixoto
M Ibson (Alan, 56'), Lucho Gonzalez
Mof Diego (Quaresma, 79')
MAE Lisandro Lopez (Hugo Almeida, 65')
PL Sokota
MAD Jorginho
Não utilizados: Helton, Bruno Alves, Pepe e Paulo Assunção
Treinador: Co Adriaanse

sexta-feira, setembro 09, 2005

sub-20: Oito portistas nos convocados

A convocatória da selecção sub-20 inclui nada menos que oito portistas (!), André Leão, Hugo Marques, João Dias, Jorge Lopes, Marcio Sousa e Vitor Alves da equipa B, Paulo Machado do Estrela da Amadora e Rui Sacramento do Valdevez. Destacam-se os regressos de Rui Sacramento e Vitor Alves, que não eram chamados há algum tempo.

A. Académica / OAF: Sarmento;
A.C. Valdevez: Rui Sacramento;
Boavista FC, SAD: Hugo Monteiro;
Casa Pia A.C.: Yannick Djalló;
C.D. Olivais Moscavide: Miguel Veloso;
C.D. Santa Clara: João Botelho;
C.F.Estrela Amadora: Paulo Machado;
F.C. Famalicão: Sereno;
F.C. Maia: André Maia;
F.C. Porto: André Leão, Hugo Marques, João Dias, Jorge Lopes, Marcio Sousa, Vitor Alves;
Gondomar SC: Nelson Santos, Steven, Tiago Valente;
SC Braga, SAD: Paulo Monteiro;
SL Benfica, SAD: Fernando, Hélio Roque, João Coimbra, Manuel Curto, Tiago Gomes e Vilela.

sub-17: Feirense, um clube em ascensão

Poderia pensar-se que se trata de uma mera equipa da Liga de Honra, mas ao contrário de em muitas outras, no Feirense há um projecto. Um projecto que passa pelo investimento no futebol jovem, que dispões já de um centro de estágio que nada deve aos melhores, com dois relvados naturais e outros dois sintéticos, bons balneários e espaço para restaurante, hotel e estádio (ainda em projecto). Um primeiro resultado desta politica é a presença na primeira divisão nacional das 3 equipas jovens: iniciados, juvenis e juniores. A equipa de juvenis tem por objectivo assegurar a manutenção rápidamente, para depois lutar por um lugar nos 5 primeiros.

GR João "Roscof"
DLD Pedro Rui "Neto"
DC Carlos Amaro, Nelson
DLE Tiaguinho
M Kirino, Tiago, Luis
AV Joka, André "Frodo", Edgar

Na baliza está João "Roscof" um bom guarda redes que se distingue pelo porte fisico, ideal para a posição. A ala direita da defesa está a cargo de Pedro Rui, um lateral rápido, com bom sentido posicional. Na esquerda joga Tiaguinho, juvenil de primeiro ano, que conseguiu impor-se na equipa A por ser rápido e por jogar de forma inteligente. O eixo da defesa é liderado por Carlos Amaro, o capitão de equipa, rápido, agressivo e empenhado, que tem ao seu lado Nelson, um central com caracteristicas muito semelhantes. No meio campo, o equilibrio defensivo é assegurado por Tiago, excelente no jogo aéreo, rápido sobre a bola e inteligente. A transição defesa-ataque é assegurada por Kirino, um organizador de jogo com boa técnica e visão de jogo mas que também joga com amor à camisola, tal como Luis, o sub-capitão, um jogador agressivo mas evoluido técnicamente, com técnica acima da média e excelente leitura de jogo. Ambos teriam lugar em qualquer equipa! Na frente, um trio com Joka (ex-FC Porto) na esquerda André "Frodo" (ex-FC Porto) no centro e Edgar na direita. Os ex-portistas estão já 100% integrados no empenhado e unido grupo de trabalho. Joka distingue-se pela técnica e Frodo pela velocidade e "raça" enquanto Edgar junta à excelente técnica um bom posicionamento e sentido de oportunidade, que o tornam um jogador crucial. O treinador é Neves, que pela primeira vez levou os juvenis do Feirense ao nacional e está agora de regresso. Um mouro de trabalho, que sabe liderar sem necessidade de autoritarismos. Para concluir, uma pequena amostra das alternativas. Para a baliza Pedro Miguel, um jogador muito empenhado e com excelente atitude. Na defesa, dois exemplos de empenho, Chico (qualquer posição!) e Manuel (defesa-direito). Para o meio do terreno, Sérgio Bruno tem como argumentos bons pés e muito empenho, apesar de ainda ser de primeiro ano. E na frente, Alex, também de primeiro ano mas muito rápido e bom tecnicamente.

FC Porto sub-16: Fábio Ferreira, de guarda redes a ponta de lança


Fábio Ferreira
Originally uploaded by morphy.
Na equipa do Padroense, se sair o guarda redes e não houver substituições não há problema. Fábio Ferreira, o ponta de lança, dá conta do recado! É que ele começou a jogar no clube da terra (o ADCS de Parada de Todeia, em Paredes) aos 7 anos, como guarda-redes. E aos dez foi recrutado nas captações do FC Porto, para essa mesma posição, onde jogou até ao primeiro ano de iniciado (onde esteve emprestado ao Leixões). Mas nos treinos às vezes jogava a avançado, e os treinadores diziam que tinha jeito. Tanto que, um dia, também porque o porte fisico não era o ideal para a baliza, foi decidida a transferência. Os resultados estão a ser bons, pois na época passada marcou 17 golos, foi campeão nacional e chegou a ser chamado à AF Porto. Para este ano, pretende continuar a fazer valer a velocidade, agressividade e espirito de sacrificio que o caracterizam para continuar a evoluir como avançado!

fábio daniel da silva ferreira
avançado
dn 6/4/1990
1.74 m
65 kg
destro

FC Porto sub-19: Victor Hugo, um polivalente nos juniores

Vitor Hugo Sagres, antes de se transferir para o FCP, jogava do Grupo Desportivo de Vitorino de Piães (Concelho de Ponte de Lima). Habitualmente jogava na posição 10, e usando a todas as suas capacidades (força, técnica) criava desiquilibrios nas defesas adversárias. Desde muito novo que as se destaca dos demais, e mesmo jogando quase sempre num escalão superior á sua idade, os seus dotes nunca passaram despercebidos aos melhores clubes da região. Contudo só abandonou o clube da sua terra para dar o salto para o FC Porto, onde é utilizado em posições mais recuadas (DC, MD). [info por José Costa]

FC Porto sub-17: João Magalhães, extremo-direito

Uma contratação que aparentemente passou despercebida foi a de João Magalhães, um rápido e talentoso extremo direito, possuidor de excelente técnica. Isto apesar de ser totalista na selecção nacional sub-16 de 04/05 e de já se ter estreado nos sub-17. Mas como veio do Vieirense...
Podem ficar a conhecê-lo melhor nesta entrevista ao Diário de Leiria, de Junho de 2005.

Nome completo: João Carlos Gaspar Magalhães
Data de nascimento: 26 de Junho de 1989
Currículo desportivo:
Vencedor distrital do torneio de escolas;
Campeão distrital de iniciados e juvenis;
Vencedor da Taça Distrito em iniciados e finalista vencido da Taça Distrito, em juniores, pelo Vieirense.


A maior alegria desportiva? A 1ª internacionalização.
A maior tristeza? A derrota frente ao Pombal (4-0) na final da Taça Distrito, em juniores, esta temporada.
Ídolo? Cristiano Ronaldo.
Prato preferido? Bacalhau à Braz.
Filme de que mais gostou? Asas Indomáveis.
País que mais gostava de conhecer? Estados Unidos da América.
O que pensa do nosso País? Está em baixo economicamente, vamos ver se José Sócrates faz alguma coisa para melhorar a situação.
Político que mais admira? Não me pronuncio.
Considera-se um jogador correcto? Sim. Na minha curta carreira de futebolista só por duas vezes fui admoestado com o cartão amarelo.
Relvado onde mais gostou de jogar? Em vários, mas em Portugal gostei muito de ter jogado na Academia do Sporting (Alcochete) em representação do Vieirense. No estrangeiro, gostei do estádio da minha primeira internacionalização.
O que lhe dizem os seus amigos da carreira? Dão-me força para continuar com o meu trabalho e alguns até me dão conselhos. Agora no FC Porto vai ser sempre o mesmo João Magalhães: Um jogador não se vê só dentro do campo. Vou ser sempre o mesmo e não me vou esquecer dos meus amigos de infância.
Gostou de ter representado o Vieirense? Fui muito feliz enquanto representei este clube. Fiz amizades que perdurarão pela vida fora.
Destaca alguém em especial? José Sousa, o técnico que sempre me acompanhou, assim como Tiago Vicente, já nos juniores. Agradeço todo o apoio que me deram. Mas quero manifestar um obrigado especial ao então presidente do Vieirense - Afonso Henriques.


O que o levou a optar pelo FC do Porto?
As condições que me deram foram melhores e além disso decidiram-se mais cedo.
Então teve outros clubes interessados no seu concurso?
Tive o Benfica, Sporting, Boavista, Braga, Académica de Coimbra e União de Leiria. Os dirigentes do Benfica falaram com o Vieirense mas não chegaram a falar comigo. Soube que me observaram mesmo antes de ir à selecção e depois mais tarde em conversa com os atletas benfiquistas eles diziam para eu não assinar por ninguém e que inclusivamente assinaria em Dezembro. O que afinal não veio a acontecer.

A hipótese da União de Leiria não o fascinou? Os contactos não foram conclusivos, mas se tivesse ficado em Leiria, julgo que seria uma boa opção.
Foi fácil chegar a acordo com o FC do Porto? Sim. Entre o Vieirense e o meu novo clube houve algumas dificuldades, mas tudo se resolveu a bem.
O FC Porto sempre foi o clube da sua simpatia? Para ser sincero tinha grande simpatia pelo Benfica. Mas agora estou de corpo e alma no FC Porto e vou dar sempre o meu melhor pelas suas cores.
O contrato é valido por quantos anos? Três. Um como juvenil e dois como júnior.
Quais são as suas ambições como futebolista? Continuar na selecção nacional e conseguir chegar ao plantel principal do FC do Porto para singrar como futebolista profissional.
Como foram os seus primeiros passo no futebol? Entrei para o Vieirense aos sete anos quase por brincadeira, juntamente com outros amigos daqui da Carreira. As coisas tornaram-se mais sérias quando comecei a fazer parte das selecções distritais de Leiria, especialmente no torneio Lopes da Silva, em sub/15, surgindo as primeiras propostas do Benfica e do Sporting.
Quais as razões de ter optado pelo Vieirense? É o clube daqui da região com melhores condições. Os meus colegas iam para lá e eu fui com eles.
Quando deu os primeiros passos como futebolista pensou em ser internacional? Nunca pensei. Como frisei atrás, o torneio Lopes da Silva, em Lisboa, foi o arranque pois dei nas vistas. Começaram depois os interesses dos clubes e abriram-se as portas da selecção nacional.
Qual foi o sentimento ao conseguir a primeira internacionalização? Senti um grande orgulho. Parecia que estava a viver um sonho. Isso aconteceu em França no Torneio Val-de-Marne, frente à Rússia, em sub/16 no dia 26 de Setembro de 2004. Mais radiante fiquei ao marcar o primeiro golo na vitória por 3-1.
O ambiente na selecção é bom? É muito bom. O grupo é muito unido e existe um grande apoio mútuo nos bons momentos e nos menos bons.
O facto de pertencer a um clube de menor nomeada não o afectou na selecção? Senti-me nervoso pois tinha uma responsabilidade acrescida por terem apostado em mim vindo de um clube como o Vieirense.
Quanto aos estudos deseja prossegui-los? É complicado conciliar as duas coisas. Mas espero ir também o mais longe possível nos estudos. Agora frequento o 9º ano na Escola EB 2 e 3 Rainha Santa Isabel (Carreira).

sub-19: Boavista, um candidato ao titulo

No nacional de juniores o Boavista joga de igual para igual com os "grandes", ano após ano. Apesar de algumas nuvens negras que parecem abater-se sobre a formação neste clube (instalações não melhoram, subsidios por pagar) este ano não deverá ser excepção. Aqui fica a apresentação, pela positiva, desta equipa.

Na baliza está Marco Pereira, um guarda redes a quem não falta nada: forte fisicamente, tecnicamente muito bom e com bom jogo de pés. Está inscrito na liga profissional, onde é terceiro guarda redes. No eixo da defesa está Vitor, um central forte fisicamente, mas a referência é Bruno, um central tecnicamente evoluido, com bom jogo de cabeça. Na ala direita da defesa está Pedro Montenegro, um defesa com bom puder de choque e muito sólido a defender, mas com dificuldades em sair para o ataque. Na esquerda brilha Daniel, um defesa muito bom, com boa técnica e qualidade no passe, que defende bem e ataca ainda melhor.
A candidatura ao titulo é reforçada no meio campo, um quarteto liderado por Gilberto Silva, habitual presença nas selecções. Um jogador com uma raça que nunca mais acaba. Corre 90 minutos mas é tecnicamente bom, joga simples mas bem. No ano passado chegou a ir ao banco da equipa profissional, na qual está novamente inscrito. Ao seu lado joga Daniel Bastos, um jogador que faz lembrar Rochembak, muito forte fisicamente, mas com muita classe e boa qualidade de passe! Internacional sub-16 e sub-17, deixou de ir depois do azar que teve no campeonato de europa e que obrigou a uma operação aos ligamentos no joelho. O menos vistoso é Helder Leandro, que não faz um jogo brilhante, de encher o olho, mas que joga muito simples: rouba bem as bolas e entrega a quem sabe, com bons passes e cruzamentos. Para o fim ficou o melhor: Rui Gomes, jogador com uma técnica fantastica, quase sempre letal no um-para-um. É um magico dentro de campo, que talvez já justificasse a aposta noutros campeonatos.
A referência na área é Horácio, um ponta de lança forte fisicamente, que faz boas desmarcaçoes e aproveita muito bem o corpo para fazer mossa nas defesas. Está em campo para facturar, o que faz com frequência, mostrando também entendimento com Manuel, um avançado com perfil oposto ao de Horácio: fisicamente fraco mas tecnicamente evoluido, evita o choque e preveligia a tecnica e a velocidade

A candidatura ao titulo é reforçada com um banco de luxo. Aqui ficam alguns exemplos, que não esgotam a qualidade existente no plantel: Santiago, um Ronaldo em ponto pequeno, extramamente rápido, técnicamente fora de serie e capaz de excelentes cruzamentos! Nobrega, outro extremo com uma predilecção por arriscar no um-para-um, ganhando quase sempre. Couto, um médio com excelente passe, capaz de pôr a bola onde quer. Tchocamar, um negrinho que faz coisas maravilhosas com a bola! Um prodigio de técnica que dá gosto ver jogar e Pedro Oliveira, um organizador nato, capaz de colocar bem todas as bolas que passam por ele.

quinta-feira, setembro 08, 2005

FC Porto sub-16: Vitinha


Vitinha
Originally uploaded by morphy.
Na luta pela titularidade no Padroense está um avançado com técnica e um talento especial para assistir para golo: Vitinha. Começou no futsal do Vermoim, com 9 anos e aos 12 anos passou para o futebol de 11, no Maia. No primeiro ano de iniciado, pelo Maia, marcou um golo decisivo (1-0) ao Boavista, que ainda hoje recorda: "Bem de fora da área, fiz um chapéu ao guarda redes" e foi várias vezes à selecção da AF Porto e . Os do Bessa tentaram ir buscá-lo, mas ficaria no Maia para mais uma boa época, surgindo agora na equipa B do FC Porto para o seu primeiro ano de juvenil.

Victor Germano Magalhães Rocha "Vitinha"
avançado
28/2/1990
1.76 m
67 kg
destro

sub-16: Primeira convocatória 05/06

As primeiras convocatórias da selecção sub-16 são importantes, pois representam o resultado das observações no torneio Lopes da Silva. A primeira convocatória, para um estágio, tem 44 jogadores, incluindo 5 directamente ligados ao FC Porto: José Alves "Coelho", Ricardo Miguel Galeão e Rui Nunes "Ruca" da equipa A e Daniel Martins e Pedro Rodrigues da equipa B (Padroense). Benfica e Sporting tem 7 cada, com os leões a incluirem Wilson Eduardo, "roubado" ao FC Porto. Aqui fica a lista completa:

Boavista FC: Abel Pereira, Ivo Pinto e Rui Almeida;
CD Santa Clara: Luís Lima;
CF ‘Os Belenenses’: Marcel Ribeiro;
CF União Madeira: Ruben Ferreira;
CS Marítimo: Jonathan Vieira;
FC Barreirense: Tiago Silva;
FC Paços Ferreira: Tiago Torres;
FC Porto: José Alves, Ricardo Galeão e Rui Nunes;
GC Tavira: Bruno Morgado e Tiago Cruz;
GD Estoril Praia: Ernesto Nunes e Gonçalo Pinto;
Padroense FC: Daniel Martins e Pedro Rodrigues;
Portimonense SC: Christian Soares e Nuno Mendes;
SC Braga: Daniel Coelho, Rafael Rodrigues, Ricardo Simões e Rui Torre;
SC Farense: Luís Oliveira e Ricardo Ferreira;
SL Benfica: André Soares, David Simão, Eduardo Machado, Hugo Figueiredo, João Carmo, Leandro Pimenta e Tiago Santos;
Sporting CP: André Monteiro, Bruno Simões, Diogo Amado, Diogo Viana, Michael Santos, Rui Fonte e Wilson Eduardo;
Vitória FC (Setúbal): Diogo Freire;
Vitória SC (Guimarães): Diogo Lamelas e Henrique Dias;
UD Leiria: Bruno Cepeda.

FC Porto 05/06: Iniciados (juniores-C, sub-15)

A concorrência é feroz nos iniciados portistas, com cerca de 60 jogadores divididos por 3 equipas (A, B e C). Aqui fica a lista dos jogadores das equipas A e B.

GR Fernando Paulo, Tiago Arantes, Ricardo gomes
DLE Pedro Branco, João Pinto, André Anjo
DLD Joao Reuss, Paulo Sérgio, Nuno, Fuquisso
DC Eduardo , José Cepeda, Mauro, João Pedro, Bruno Gomes
Mdef João Ricardo, Lopes, Valter
Mdir Ricardo Jorge, Ricardo Cardoso, Luis Paulo, Tomé Rebelo
Mesq Jefferson, João Alves
Mof Ruizinho "piolho", Alexandre Gonçalves, Filipe Espincho, Diogo, Ricardo António
AV Rui Caetano, Sergio, Leandro, Marcos, Rui Santos, André Claro, Pedro Gomes

Artigos relacionados

cn, j1: Leixões 1-4 FC Porto
FC Porto "B" 3-0 Canidelo

Notícias Breves

  • A equipa do FC Porto juntamente com a do Sporting de Espinho assinaram protocolo de colaboração no que se refere à formação de jogadores. Segundo este protocolo jogadores trocarão de clube e o staff - técnico e clínco - deverá fazer estágios de formação. Uma notícia importante no que toca aos assuntos debatidos no nosso blog.
  • Ao que parece, será Ibson a jogar na posição de médio defensivo no jogo do Dragão frente ao Rio Ave. Raúl Meireles vai permanecer no estaleiro mais duas semanas sendo que há também poucas hipoteses de o internacional sub-21 português recuperar a tempo de ir a Glasgow defrontar os Rangers. Mais grave é a lesão de José Bosingwa. O senense tem uma rotura parcial do ligamento do joelho esquerdo e é certo que vai continuar parado durante, pelo menos, duas semanas. Para finalizar o capítulo, Bruno Moraes deverá começar a treinar sem limitações dentro de um mês.
  • O lateral esquerdo recentemente contratado pelos dragões, Marek Cech, deverá chegar hoje ao Porto depois de passar em Praga para fazer as malas sendo que apenas amanhã deverá treinar-se com os restantes companheiros de equipa naquele que vai ser o último ensaio antes do jogo referente à 3ª Jornada frente aos 1ºs classificados.
  • Em jeito de conclusão, de salientar as declarações de Diego no seu site oficial expressando o seu optismismo na Champions League e referindo que o FCPorto está a melhorar e há grandes expectativas para esta temporada. Para ler a entrevista completa clique aqui.

sub-17: Leixões, um caso isolado ou algo mais?

O nacional de juvenis de 04/05 teve como principal revelação a equipa do Leixões, que bateu o Benfica sem apelo nem agravo e lutou taco a taco com o FC Porto e Sporting, quase entregando o titulo aos primeiros, ao manter o embate com os leões em Alcochete empatado até aos ultimos minutos. Mantendo apenas dois jogadores presentes nessa fase final (Gonçalo e Tiago Cintra), parte para a nova época com a ambição de repetir a passagem à segunda fase. Aos portistas esta equipa interessa particularmente, pois tem protocolo com o clube, recebendo jogadores dispensados (que o clube poderá fazer regressar, caso entenda). Por esse motivo estão aqui boa parte dos jogadores do Padroense em 04/05: Jorge Forte, Esperança, Jorge Matos, André Simões, Filipe Sonié, Oliveira e Vinagre.

GR Branco (Jorge Matos)
DLE Esperança
DC Sonié, Dias
DLD Magalhães (Dias)
MD Vitor Bessa
M André Simões, Gonçalo (c) (Arsénio)
MAE Tiago Cintra (Cardoso)
MAD Jorge Forte (Oliveira)
PL Filipe Sá (Cacheira, Vinagre)

Na baliza está Branco, que compensa a estatura mediana com muita agilidade e irrepreensivel atitude competitiva. À sua frente o eixo defensivo é ocupado por Sonié, um central com bom sentido posicional e que aproveita bem a altura no jogo aéreo, incluindo a finalização de faltas cobradas junto à area adversária, e por Dias, um central duro e concentrado, que nunca facilita. Na ala direita da defesa está Magalhães, que veio do Pasteleira. Um defesa rápido, que ataca, defende e bate bem livres. Só lhe falta um pouco de estatura. Na ala esquerda joga Esperança (não sou eu, lol), um lateral rápido e raçudo que também faz toda a ala. O lugar mais recuado do meio campo é ocupado por Vitor Bessa, trabalhador, duro e concentrado, qualidades a que acrescenta a qualidade no passe. A transição para o ataque é assegurada por Gonçalo, um jogador trabalhador, mas rápido e com um forte remate, que dá tudo pela equipa de que é o capitão de equipa. Ao seu lado joga André Simões, um criativo que baseia os seus dribles na finta de corpo e na velocidade, e que entra bem na área para finalizar. O extremo direito é Jorge Forte, um driblador muito rápido com a bola nos pés, e na ala esquerda do ataque está Tiago Cintra, um polivalente que pode jogar em todas as posições do ataque e meio campo ofensivo. Baseia o seu jogo em dribles, fazendo diagonais a partir da ala mas também se distingue na finalização, aproveitando a boa estatura. O ponta de lança é Filipe Sá, um finalizador alto que também joga bem de costas para a baliza. No banco estão Jorge Matos, um bom guarda redes, Bruno, um defesa direito muito eficaz, Arsénio, um criativo que segura bem a bola, movimenta-se bem e tem boa qualidade de passe, Cardoso, um médio esquerdo alto e rápido (de primeiro ano!) e Cacheira, ponta de lança rápido e raçudo, que aparece sempre na zona de finalização. Mais recentemente chagaram mais dois ex-Padroense, o médio direito Oliveira e Vinagre, um avançado que também pode jogar a médio ofensivo.

quarta-feira, setembro 07, 2005

FC Porto sub-17: Fabinho, um jogador à Porto


Fabinho
Originally uploaded by morphy.
No plantel de 2004/05 do Padroense mantem-se um unico jogador, um que não chegou a jogar...
Fabinho é o nome de guerra, e trata-se de um médio ofensivo rápido e com visão de jogo, capaz também de fazer outras posições no meio campo e ataque. Começou com 8 anos no Boavista, mas o sonho era o FC Porto. Treinou à experiência, e ficou! Foi impressionando e marcando golos com regularidade, entre 20 e 30 por época, até ao fatidico dia de 10 de Abril de 2004, em que uma gravissima fractura no joelho quase punha um precoce fim a esta promissora carreira.
A saga de recuperação da lesão é o que mais impressiona. A primeira operação implicou a colocação de 3 parafusos. Seguiram-se outras quatro operações, com muita e dolorosa fisioterapia pelo meio. O clube não só tratou de todo o tratamento médico como providenciou fisioterapeutas para as férias. Começa agora aos poucos a retomar o contacto com a bola.
Aqui fazemos votos para uma recuperação completa, na certeza de que só um jogador com grande carácter, verdadeiramente "à porto" continuaria a lutar depois de tanto sofrimento, sem garantias de recuperação e até, no pior periodo, apesar do veredicto negativo (hoje ultrapassado!) de alguns médicos.

Fábio Filipe Monteiro Ferreira
médio ofensivo (também médio esquerdo, médio direito e avançado)
dn 5/02/1989
1.67 m
58 kg
destro

FC Porto 05/06: Padroense (juvenis B)

Depois de uma época 04/05 desastrosa, a equipa B juvenil - Padroense - tem este ano como objectivo o regresso à primeira divisão nacional. Para isso conta com a base da equipa campeão nacional de iniciados e com bastantes reforços.

442
GR José Nunes "Zé", Leonardo
DC Fábio Duarte, Pedro Rodrigues, João Garcia
DLD Fábio Vieira, Tiago Lopes, José Coutinho
DLE Pedro Sabino, Vitor Bruno
Mdef Mortagua, Daniel Martins
Mesq Ricardo Carvalho, Hélio
Mdir Pedro Antunes, Figueiredo, Helder Lopes, Jonathan
Mof Mialongi, Tiago Pinto, Josué, Fabinho
AV Fábio Ferreira, Fernando, Vitinha, Matos

Proveniência dos jogadores

Padroense 04/05: Fabinho
Iniciados 04/05: José Nunes "Zé", Fábio Duarte, Pedro Rodrigues, João Garcia, Fábio Vieira, José Coutinho, Vitor Bruno, Daniel Martins, Ricardo Carvalho, Hélio, Pedro Antunes, Figueiredo, Mialongi, Tiago Pinto, Fábio Ferreira, Josué
Reforços: Leonardo (Salgueiros), Pedro Sabino (Maia), Tiago Lopes e Helder Lopes (Coimbrões; são de 2º ano e gémeos!), Mortágua (CD Estarreja), Figueiredo (Leiria), Fernando (Loures), Jonathan (Valadares), Vitinha (Maia), Matos (Freamunde)

Chamadas à selecção nacional
sub-16: Daniel Martins*, Pedro Rodrigues*

Artigos relacionados

Padroense 6-0 Canidelo
Padroense vence torneio do Nogueirense

Entrevista com Ricardo Santos "Russo"

Jogadas que recordas com mais emoção! Descreve-as.
Talvez uma jogada que fiz contra o Pasteleira em que dai resultou primeiro golo... acho esta a mais marcante.

Como lidas com as dificuldades de ser uma jovem promessa (família, escola, amigos, …)?
A minha mãe é pouco interessada no futebol, mas sente-se orgulhosa por tudo isto; o meu pai já acompanha mais. Na escola os meus amigos sentem-se orgulhosos e felizes por mim, mas outros já me olham com uma certa inveja.

Que ambições futuras tens (futebol/estudos)?
Se tudo correr bem no futebol, tudo bem… se não correr tento outra coisa, mas gostava de estar sempre no FC Porto.

Quando e como foi a 1ª vez que foste à selecção? E a 1ª vez que jogas-te pelo FC Porto?
Pela selecção foi em Dezembro, num estagio e o 1º jogo foi em Janeiro. Pelo FC Porto foi este ano, em Junho, num torneio.

Qual ou quais os teus ídolos ligados ao futebol?
Cristiano Ronaldo e Deco.

Como descreves o último campeonato?
Mau, pois não atingimos os nossos objectivos.

Como vai ser a pré-época 2005/2006?
Já foi e foi passada em Angola pela selecção.

Qual o torneio/estágio que mais te marcou? Porquê?
Estagio… foi o primeiro! Torneio foi em Angola, pelas dificuldades que nos foram expostas e pelo forte espírito de grupo criado.

Tambem temos um perfil de Ricardo Santos, com foto.

Sub-21: Rússia 0-1 Portugal

Num jogo em que Portugal teve “mais sorte que juízo”, só existiram dois motivos de interesse: o golo de Manuel Fernandes, e os doze trabalhos de Hércules, digo Bruno Vale, para manter a baliza de Portugal imaculada! Em abono da verdade, não sei se o rapaz chegou a fazer doze grandes e providenciais defesas...mas, pelo menos, andou perto! Tudo o resto foi marasmo, sonolência, e muita falta de juízo. A começar no banco, onde Agostinho Oliveira teve uma tarde tão desastrada como a sua equipa (exceptuando o gigante entre postes), é que nem Varela entrava (acabou entrando…no último minuto), nem Ivanildo se sentava, pelo menos, no banco de suplentes…

GR: Bruno Vale
DD: Mário Sérgio
DE: Hugo Valdir
DC: José Castro, Pedro Ribeiro
Mdef: Manuel Fernandes
MC: Hugo Viana (Silvestre Varela), Danny (Nuno Morais)
ED: Ricardo Quaresma
EE: Diogo Valente (Filipe Oliveira)
PL: Hugo Almeida

Basta ler a nota introdutória para se perceber quem foi a figura do encontro. Bruno Vale teve defesas monumentais, embora não “fotográficas”! Surpreendeu-me, verdade seja dita.
Pedro Ribeiro teve uma tarde ao nível da equipa. Um ou dois bons cortes não escondem as tremendas falhas de marcação e a incapacidade de travar o ponta de lança russo.
Quaresma voltou ao seu “período pré-Adriaanse”. Nota-se esforço para assimilar o que o holandês lhe exige, mas ontem foram muitas fintas para tão pouco acerto.
Hugo Almeida fez-me lembrar S. João Batista. Este último passou 40 dias no deserto, já o primeiro 90 minutos mais descontos. Hugo Viana jogava bem só aos olhos do Agostinho Oliveira (muito fraco!!!); Danny divertia-se mais a conflituar com os russos; Quaresma jogando e seu jogo particular e Diogo Valente fazendo coisa nenhuma. E, assim, lá se aguentou Hugo Almeida, com dois centrais russos como companhia, nesse vasto deserto de ideias.

FC Porto sub-17: Mauro, um portista no eixo


Mauro
Originally uploaded by morphy.
Na luta pela titularidade no eixo da defesa da equipa de juvenis está Mauro, um admirador de Ricardo Carvalho, que tal como o seu modelo tem como pontos fortes o posicionamento, o desarme e a velocidade. Começou a jogar no Feirense com 5 anos e aí fez toda a formação, quase sempre como defesa central mas sem deixar de experimentar todas as outras posições (excepto guarda-redes!). Era uma presença regular na selecção da AF Aveiro e foi com naturalidade ao prestigiado torneio Lopes da Silva. Destacou-se o suficiente para receber propostas de 3 das melhores escolas nacionais: Boavista, Sporting e FC Porto. Optou pelo clube do coração, envergando hoje com muito orgulho a camisola azul e branca.
Ainda não foi chamado às selecções nacionais, mas acredita que este ano é que é!

Mauro Xavier Leal Andrade
defesa central
dn 24-07-1989
1.78 m
69kg
destro

terça-feira, setembro 06, 2005

sub-17: Portugal em segundo no Torneio internacional de Inglaterra

A selecção Portuguesa sub-17 fez em Inglaterra um torneio em crecendo, terminando em segundo lugar com uma vitória, um empate e uma derrota. André Pinto, que recuperou há pouco de prolongada lesão, jogou os três jogos e parece a caminho de recuperar a titularidade. Ricardo Santos jogou duas vezes e Carlos Santos e João Magalhães uma.

Portugal 1-3 Inglaterra

GR Ricardo Neves
DE Alexandre Sá
DC Carlos Santos (André Pinto, 64'), Jorge Abreu
DD Pedro Moreira
MC Adrien Silva (cap.)
Mesq Rui Lopes
Mdir Ricardo Fernandes (Romeu Ribeiro, 62')
EE André Carvalhas
ED Fábio Ferreira
PL Hugo Silva (Bruno Matias, 64')
Não se pense, no entanto, que Portugal esteve menos bem no encontro. O principal problema para a formação orientada por António Violante acabou mesmo por ser a qualidade do conjunto britânico, que apresentou uma equipa muito forte fisicamente, com excelente organização e personalidade, perante uma selecção lusa que nunca desistiu de lutar em busca de um resultado positivo.
"Tratou-se de uma excelente partida. A Inglaterra foi uma equipa muito forte que nos foi superior e ganhou bem ", referiu o Treinador Nacional, António Violante, em declarações ao fpf.pt, no final da partida. "Pode parecer um pouco paradoxal afirmar que gostei da minha equipa, mas tenho de referir que fizémos uma boa exibição e que subimos de produção em relação ao último jogo que realizámos [V Jogos da CPLP - Portugal 0-1 Moçambique]".
Para o jogo da próxima sexta-feira, diante da Itália, o responsável técnico português referiu que o principal objectivo é recuperar os jogadores fisicamente, até porque os atletas nacionais "lutaram até à exaustão", o que levou mesmo a Equipa das Quinas a terminar o encontro com a Inglaterra com apenas dez elementos, em virtude de Rui Lopes ter acabado a partida em enormes dificuldades físicas. FPF

Portugal 0-0 Itália

GR André Martins
DLD Pedro Moreira
DLE Ruben Lima
DC Jorge Abreu, André Pinto
MD Ricardo Santos (Ricardo Fernandes, 63’)
MC Adrien Silva (cap.)
Mesq Romeu Ribeiro
MAE João Magalhães (André Carvalhas, 59’)
MAD Fábio Ferreira (Hugo Silva, 75’)
PL Bruno Matias

Numa partida marcada pelo equilíbrio entre as duas formações, acabou por ser Portugal a mostrar-se mais atrevido na busca dos três pontos, perante uma Itália mais calculista, mas que acabou por ter, à passagem dos 18 minutos, a maior oportunidade do encontro, ao ver André Martins negar a concretização de uma grande penalidade.
Depois da derrota na primeira jornada, os comandados de António Violante alcançaram os primeiros pontos na prova e demonstraram que começam a assimilar aquilo que a equipa técnica deles pretende.
No final do encontro disputado no Estádio do Clevedon Town, o Treinador Nacional mostrou-se moderadamente satisfeito com a prestação dos seus pupilos, apesar do empate registado.
“Foi uma partida agradável, embora a nossa Selecção tenha tido algum ascendente na partida, que acabou por não conseguir traduzir em golos”, começou por dizer em declarações ao fpf.pt.
“A equipa melhorou em relação ao último jogo [Portugal 1-3 Inglaterra, na quarta-feira (31 de Agosto)], ainda que não tenha estado mal no primeiro, no qual nos deparámos com uma equipa muito forte. Não estando completamente satisfeito, fiquei feliz por registar a progressão da nossa Selecção”, afirmou.
Segundo António Violante, esta partida possibilitou a colocação de outros jogadores em campo e o cumprimento dos objectivos que havia traçado para este Torneio: “ver os jogadores em competição perante boas equipas”. Esta observação permitiu ao técnico luso conferir que “existe boa madeira para talhar”.
“Gostaria ainda de destacar a entrega dos jogadores e a sua preocupação em cumprir as indicações que lhes foram dadas e que vão sendo trabalhadas nos treinos, bem como a capacidade competitiva dos nossos jogadores perante uma boa equipa como é a Itália”.
Portugal 2-1 USA

GR Ricardo Neves
DLD Pedro Moreira
DC Jorge Abreu, André Pinto
DLE Ruben Lima
MC Adrien Silva (cap.) (Rui Lopes, 67’)
Mdir Romeu Ribeiro
Mesq Ricardo Fernandes (Ricardo Santos, 80’)
MAE André Carvalhas
MAD Fábio Ferreira (PL Hugo Silva, 71’)
PL Bruno Matias

O destaque da partida deste domingo vai para André Carvalhas, autor dos dois golos portugueses, o segundo dos quais através de um vistoso ‘chapéu’ ao guarda-redes norte-americano. Portugal, que entrou praticamente a vencer no encontro (4'), viu o seu adversário chegar ao empate aos 26 minutos, mas a dez minutos do apito final (70') conseguiu garantir os três pontos.
De acordo com o Treinador Nacional, a partida de hoje foi “um excelente jogo, muito competitivo”, com os Sub-17 lusos a realizarem “uma primeira parte de grande nível”, à qual apenas faltou uma pontaria mais afinada. “Criámos muitas oportunidades de golo e gizámos algumas jogadas de belo efeito, mas não fomos eficazes”, referiu o responsável técnico nacional, em declarações ao fpf.pt.
Na etapa complementar, a formação norte-americana conseguiu equilibrar as operações e criar maiores dificuldades à nossa Selecção, mas a consistência defensiva portuguesa e o longo ‘chapéu’ de André Carvalhas acabaram por decidir a partida.
Num balanço à participação dos Sub-17 nesta prova, António Violante mostrou-se bastante agradado, principalmente com o facto da equipa “ter melhorado o seu comportamento de jogo para jogo”. “Conseguimos aperfeiçoar a equipa e é preciso não esquecer que defrontámos selecções muito fortes. Acredito que ganhámos uma equipa”, disparou.

FC Porto sub-15: Ruizinho, talento em formação


Rui "Piolho"
Originally uploaded by morphy.
Nos iniciados do FC Porto a concorrência é feroz, com um total de 60 jogadores divididos em 3 equipas (A,B e C). Na luta por um lugar ao sol está um médio ofensivo muito criativo no um contra um, com um forte remate e qualidade no passe. Situa o seu estilo algures entre Quaresma e Diego. Chamam-lhe "piolho", pois é muito levezinho, o que se por um lado é uma desvantagem, por outro é a prova de muito talento, quase contrário seria impossivel resistir aos matulões. Ele pode crescer, mas aos outros não será nada fácil adquirir a refinada técnica do Ruizinho!
Começou com 7 anos no Sanjoanense, onde permaneceu até ao primeiro ano de iniciados. Foi evoluindo e mostrando talento, era chamado regularmente à selecção da AF Aveiro e acabou por despertar o interesse dos dois tubarões do futebol jovem: Sporting e FC Porto. Chegou a ir três vezes à Academia e a ter tudo no papel, mas uma mudança de direcção na agremiação leonina parou o processo e acabaria por ingressar no FC Porto, com a Sanjoanense a receber a respectiva compensação financeira.
No seu primeiro ano na equipa jogou na equipa B, não chegando a sagrar-se campeão nacional. Começou o presente ano na equipa B, certamente em parte pela baixa estatura, mas acredita que vai conseguir chegar à equipa principal! Nós também!

Rui Miguel Pereira da Silva
médio ofensivo
dn 25/7/1991
1.58 m
44 kg
destro

FC Porto sub-17: Ricardo Miguel, talento no meio campo


Ricardo Miguel
Originally uploaded by morphy.
O forte ataque do FC Porto nas camadas jovens quase faz passar despercebida a contratação de um titular da selecção sub-15 da AF Porto que participou no ultimo torneio Lopes da Silva: Ricardo Miguel, ex-Boavista. Trata-se de um jogador que se distingue pela técnica e "visão de jogo", capaz de jogar em qualquer lugar do meio campo, preferencialmente sobre a direita. Diz estar algures entre Lucho e Diego, no que diz respeito ao estilo de jogo.
Iniciou-se no Candal aos 8 anos e com 10 mudou-se para o Boavista. Desde então foi titular entre os panteras, conquistando vários vice campeonatos (escolas, infantis) e chamando a atenção do FC Porto que o contratou já com a pré-época a decorrer. É mais um provável internacional, pois foi titular em todas as selecções jovens da AF porto, conquistando mesmo o titulo de melhor jogador nalguns torneios.

Ricardo Miguel Soares Galeão
médio direito
3/9/1990
1.70 m, 67 kg
destro

FC Porto e os laterais esquerdos

A cedência de Leandro ao Cruzeiro, seu clube de origem, é o ultimo episódio de uma longa novela na lateral esquerda do FC Porto.
O inicio pode até ser o reinado de José Mourinho, que "fabricou" um titular no FC Porto e na selecção nacional a partir do improvável Nuno Valente, um jogador que não tinha sido aproveitado no Sporting. Mas Mourinho também encostou Mário Silva, que passou meses a fio fora das convocatórias e foi preterido por... Ricardo Costa, quando era necessário substituir Nuno, o que aconteceu com alguma frequência devido a lesões mais ou menos graves e lançou Hugo Luz nos ultimos jogos de 02/03.
Mário Silva iria terminar o seu longo calvário com uma transferencia para a segunda liga espanhola. Hugo Luz iria falhar no empréstimo ao Gil Vicente e anda hoje pela segunda liga lusa.
Descartados estes dois após a saída do sadino, o FC Porto contratou Rossato e Areias. O primeiro foi vendido para Espanha pouco depois, de forma surpreendente. Uma lesão impediu-o de mostrar serviço e este ano está em... Braga. O segundo deu ideia de poder ser opção regular até Mourinho o humilhar tacticamente no jogo contra o Chelsea nas Antas, onde Areias só era marcado quando passava do meio campo defensivo mas mesmo assim não criava qualquer perigo. O resto da carreira deste portista no clube do seu coração foi um penoso arrastar até à transferência para o Boavista, onde é suplente. Chega-se à conclusão que dificilmente teria sido pior promover Vitor Rodrigues, titular na equipa B no ano anterior e que apesar de cumprir o seu ultimo ano de contrato escondido no Tourizense, viria a tornar-se opção regular na selecção sub-21. Mesmo assim, o FC Porto deixou terminar o contrato e preferiu fazer regressar Areias para novo teste mal sucedido...
E porque motivo jogou Areias contra o Chelsea? Porque Nuno Valente se lesionou com extrema gravidade na selecção. Uma lesão ligamentar semelhante às de Mantorras ou Delfim. Para agravar o cenário, a selecção não libertou o jogador de imediato e nunca entregou as radiografias com que poderia justificar essa decisão.
Com Nuno Valente lesionado para longos meses e Areias sem nivel para o clube, foi decidido contratar. Com todo o tempo do mundo para o fazer, conseguiu-se errar em toda a linha: Leandro. Um suposto candidato à selecção Brasileira com fama de "bom no ataque" que nunca justificou e que mostrou frequentemente uma inacreditável ingenuidade a defender. Vem à memória a forma como punha os adversários em jogo na sua estreia ou a forma como poderia ter deitado a perder um campeonato ou um acesso à liga dos campeões ao ser batido e não fazer falta nos minutos finais do ultimo jogo da época.
Co deu-lhe a titularidade no inicio desta época, mas após sucessivos erros graves, preferiu arriscar com César Peixoto. Uma adaptação que está a ser uma agradável surpresa e que acabou por justificar a dispensa do Brasileiro, que regressou ao Cruzeiro, sonhando ainda com a presença no mundial.
Na mesma altura em que encostou Leandro, e certamente não por coincidência, Co denunciou a situação de Nuno Valente. Ficou então a saber-se que Nuno não jogava porque não aceitava optar pelo clube em detrimento da selecção. Na minha opinião, fê-lo por estar convencido que o Brasileiro não dava conta do recado. Mesmo assim, a situação arrastou-se até final do periodo de inscrições e só foi desbloqueada com a entrada em cena do Everton, que ao pagar 3 milhões de euros pelo internacional Portugês com 30 anos e um joelho problemático, proporcionou uma saída airosa para todas as partes.
Com o periodo de inscrições a terminar, o plantel seria completado com Marek Cech, um ainda jovem mas relativamente experiente lateral, que no entanto não tinha ainda jogado pelo Sparta de Praga o que poderá ser a razão para o regresso à selecção sub-21 depois de meia duzia de jogos na selecção principal.

A dispensa de Leandro constitui também um sinal de confiança em César Peixoto e até em Jorge Lopes (que já foi chamado ao plantel principal para um jogo particular). Parece-nos claro que o clube está a correr riscos, pois nenhum dos três candidatos ao lugar (César Peixoto, Marek Cech e Jorge Lopes; parece claro que no entender de Adriaanse, Ricardo Costa faz falta no centro) é uma solução 100 % fiável. São porem riscos "bons", pois tem a ver com a aposta em jogadores jovens e com margem de progressão.

segunda-feira, setembro 05, 2005

Esperanças Lusas

Neste post, que se pretende manter actualizado, ficarão os artigos relativos a esperanças Portuguesas que (ainda!) não fazem parte dos quadros do FC Porto.

05/06

sub-19: Boavista, um candidato ao titulo
sub-19: Candal: um outsider a ter em conta
sub-17: Leixões: um caso isolado ou algo mais?

04/05

Sporting campeão nacional de juniores 04/05
Sporting campeão nacional de juvenis 04/05
Leixões: a sensação do nacional de juvenis 04/05
Perfil de Fábio Paim (Sporting)
Perfil de Daniel Carriço (Sporting)
Perfil de João Gonçalves (Sporting)
Perfil de Pedro Carneiro (Boavista)
Perfil de Yago Fernandez (Real Madrid), Yago assina contrato profissional com o Valência

FC Porto B 1-0 Infesta

O FC Porto B venceu o Infesta no primeiro jogo da sua séria da II divisão. O jogo treino com o Paços de Ferreira e o comentário de Co Adriaanse sobre Helder Barbosa parece ter chamado a atenção dos media para o FC Porto B, com o jogo a ser noticiado em detalhe não só no Jornal de Noticias (que o faz sempre) mas também nos três diários desportivos. O entrosamento do FC Porto não convenceu os comentadores, que também criticaram a finalização. Helder Barbosa mostrou o seu vasto reportório técnico, justificando o elogio de Co e a curiosidade dos jornalistas. O golo foi marcado por João Pedro, de grande penalidade.

GR Hugo Marques
DLD João Dias
DC João Pedro, Vítor Alves
DLE Jorge Lopes
M Nuno Prata Coelho, André Leão (Márcio Sousa, 69')
Mof Bruno Gama
MAE Hélder Barbosa
PL Marco Paixão (Tiago Borges, 79')
MAD Zequinha (David, 55')
Outros convocados: André Queiroz, Nuno André Coelho, Duarte, Flávio Paixão
O FC Porto B estreou-se ontem a vencer no remodelado campeonato da II Divisão, batendo o Infesta por 1-0, mas quem sobressaiu foi um jogador que já tinha encantado Co Adriaanse na semana passada: Hélder Barbosa. Um pé esquerdo fantástico, que faz fintas curtas e deliciosas, aliado a uma velocidade estonteante e a uma boa visão de jogo são os principais atributos de um extremo de 18 anos que, de acordo com Aloísio, está perto de subir o degrau mais importante da sua carreira, ou seja, assegurar um lugar no plantel principal. Mas a equipa secundária portista tem outros elementos capazes de agradar a Co Adriaanse, desde o defesa-central João Pedro, autor do golo de ontem, ao fantasista Bruno Gama.
A estreia de Aloísio como treinador principal correu da melhor maneira. O FC Porto B venceu, que é o mais importante na primeira jornada, especialmente para um grupo com uma média de idades muito baixa. Talvez por isso mesmo a equipa tenha mostrado algumas fragilidades, uma vez que a II Divisão é composta por jogadores experientes, precisamente aquilo que o FC Porto B não tem. Mas tem outros que, apesar de jovens, já demonstram capacidades acima da média. Como os regulamentos impedem a equipa de Aloísio de subir de divisão, o que importa mesmo é tentar formar jogadores para o futuro. E colocá-los a jogar perante adversários matreiros tem os seus riscos. Um exemplo: Bruno Gama foi travado em falta inúmeras vezes, saindo do jogo com as caneleiras marcadas pelos pitões dos adversários. Mesmo assim, Manuel António, o treinador do Infesta, disse no final que "o árbitro Hernâni Duarte roubou" a sua equipa, comentando as expulsões de Nuno e Igor, este por vermelho directo.
Aloísio escolheu um esquema de 4-3-3, o mesmo utilizado por Co Adriaanse, embora, curiosamente, o treinador brasileiro tenha dito que não há nenhuma directriz nesse sentido. Hélder Barbosa jogou preferencialmente nas alas, mas tinha liberdade para fazer o que queria com a bola. O jogador foi mais longe e fez o que quis também dos adversários, ultrapassando-os em dribles e assistindo os companheiros, que mostraram deficiências na finalização. Este foi um dos aspectos negativos do jogo e talvez por isso o golo solitário tenha sido obtido através de penálti, convertido pelo central João Pedro aos 64'. Bruno Gama, outra das promessas portistas, jogou como número dez, mas também teve tempo de aparecer junto da baliza do Infesta, embora aqui não tenha acertado no alvo. O Jogo

O 4x3x3 é o esquema eleito do treinador que este ano chegou ao FC Porto, o mesmo que foi escolhido pelo também novo técnico da formação B dos dragões. No pontapé de saída do campeonato da II Divisão, ontem, frente ao Infesta, o brasileiro seguiu a linha de raciocínio do holandês, adoptando o mesmo sistema de jogo, com igual função de um elemento que Adriaanse considera fundamental: o número 10.
Bruno Gama foi o escolhido para essa missão, ele que é também uma das grandes referências dos jovens azuis-e-brancos. Hélder Barbosa é outro nome a ter em conta — já foi chamado por Adriaanse para o jogo treino frente ao Paços de Ferreira, na semana passada — mas apesar das qualidades que alguns elementos vão evidenciando, Aloísio Alves diz que «ainda é cedo» para apostar nestas unidades no conjunto principal.
«Já conhecia alguns atletas da equipa B e outros dos juniores, com quem estamos a trabalhar. É o caso do Hélder Barbosa e do Bruno Gama, que já fizeram jogos pela equipa principal, mesmo no tempo de José Mourinho. Existem, de facto, alguns jogadores que podem chegar mais cedo ao primeiro nível, mas o nosso principal objectivo é formá-los para o futebol sénior», refere o antigo defesa-central do FC Porto.
O técnico brasileiro fala também das semelhanças com Co Adriaanse nos conceitos tácticos, assegurando que a adopção do 4x3x3, tal como o holandês, é apenas uma casualidade. «Foi o que nós treinámos na pré-temporada, mas houve jogos em que alterámos o sistema. Também podemos jogar em 4x4x2, mas o 4x3x3 é o modelo que melhor se adapta às características dos jogadores que tenho à minha disposição».
Os contactos com Co Adriaanse acontecem «informalmente », mas Aloísio procura aprender com o técnico holandês: «Tenho acompanhado alguns treinos e os jogos. Não temos conversas diárias, mas procuro saber que tipo de trabalho é feito no plantel principal.» A Bola

Jogo muito disputado mas nem por isso bem jogado. Esta partida era agurdada com alguma expectativa. Dois conjuntos que habitualmente fazem bons campeonatos não estiveram ao seu melhor nível. É obvio que é o seu primeiro jogo do campeonato, teremos que lhes dar o benefício da dúvida. Ambas as equipas jogaram com algumas cautelas. Não havendo por isso grandes oportunidades de golo durante a primeira parte. O lance de maior perigo neste período surgiu aos 22 minutos. Insistência do ataque do Infesta com Corina, em boa posição, a rematar por alto. A segunda parte foi mais emotiva. Aloísio mexeu na equipa, fazendo entrar David, que veio dar outra alegria ao jogo. O Infesta viu as suas dificuldades acrescidas com a expulsão de Nuno. O FC Porto, inconformado, com o resultado carregava no seu ataque. O golo da vitória aconteceu aos 66m, de penálti muito contestado pelos mamedeses. O Infesta ainda fez um "pressing" à procura do empate, mas a defensiva portista anulou todas as suas intenções. Arbitragem com erros. Jornal de Noticias

domingo, setembro 04, 2005

sub-19: FC Porto 6-1 Guimarães

Uma equipa fortemente baseada nos miudos da Nike Cup goleou o Guimarães, tradicional candidato à fase final e que vinha moralizado por uma vitória na primeira jornada. Castro inaugurou o marcador logo aos dez minutos, e quando André Monteiro e o mesmo Castro marcaram aos 21 e 22, o jogo ficou sentenciado. Mesmo assim, a forma natural como continuaram a dominar e a marcar (dois golos de Rui Pedro e um de Monteiro) impressiona

GR Igor Araujo
DLD Tiago Moreira
DC Ervões, Leandro Pinhal
DLE Daniel (Fábio, 60)
Mdef João Pinhal
M André Castro (Samarra, 70), Miguel Ângelo
Mof Rui Pedro
AV Roberto (Monteiro, 64), André Monteiro
Outros convocados: Hugo Ventura, Morais, Steven Vitória, Saianda

Tourizense 0-1 FC Porto B

O FC Porto venceu o Tourizense no seu ultimo jogo de preparação, num jogo agradável. O golo foi de Helder Barbosa.

GR Hugo Marques
DC João Pedro, Vitor Alves
DLE Jorge Lopes
DLD João Dias
M Nuno Coelho, André Leão
Mof Márcio Sousa
MAE Helder Barbosa
MAD Bruno Gama
PL Gonzalo Marronkle
Jogaram ainda: Zéquinha, Marco Paixão , Fábio Espinho, Tiago Borges, Rodrigo Ângelo, Cleberson

Aloisio, o treinador (O Jogo - 4/9/2005)

Uma das atracções do FC Porto B versão 2005/06 é exactamente o treinador. Aloísio vai estrear-se como técnico principal depois de várias épocas a recolher ensinamentos de outros treinadores. O antigo defesa-central colocou um ponto final na carreira de jogador há quatro anos e nesse período manteve-se nas equipas técnicas do FC Porto, trabalhando com nomes tão diferentes como Octávio Machado, José Mourinho, Luigi del Neri, Victor Fernandez e José Couceiro, mais com uns do que com outros, mas agora espera-se pelo resultado final da mistura de influências.
Aloísio concluiu há pouco tempo o IV nível do curso de treinadores e já tinha decidido abraçar um projecto em que fosse o principal responsável por uma equipa. Pinto da Costa convidou-o para ocupar o lugar de Domingos Paciência e o treinador brasileiro nem hesitou, tanto mais que conhece bem o clube. O facto de o principal objectivo do FC Porto B ser formar jogadores capazes de mais tarde poderem trabalhar com Co Adriaanse, uma vez que a equipa está impedida por regulamento de subir de divisão, é um dado a favor de Aloísio. Não terá a pressão de apresentar resultados desportivos, mas sim a possibilidade de trabalhar talentos em potência. Bandeirinha será o seu adjunto e a estreia é hoje com o Infesta.

Os diamantes do FC Porto B (O Jogo - 4/9/2005)

Hélder Barbosa (extremo-esquerdo)

Na época passada fartou-se de fazer grandes jogos nos juniores, o que lhe valeu uma chamada à equipa secundária, e agora prepara-se para explodir no FC Porto B sob a orientação de Aloísio. Co Adriaanse viu-o jogar frente ao Paços de Ferreira e ficou deliciado com as suas capacidades. Hélder Barbosa jogou como número dez, mas na verdade a posição em que mais actua é a de extremo-esquerdo. No fundo, é um jogador muito versátil, senhor de uma grande capacidade técnica que pode ser aproveitada em várias funções. Tem 18 anos.

João Pedro (defesa-central)

Tem como ídolo Ricardo Carvalho e quem o vê jogar diz que tem características parecidas com as do central do Chelsea. Aos 17 anos já foi chamado às selecções portuguesas de sub-18 e sub-19, sagrando-se ao serviço do ex-campeão europeu há dois anos. Tem 36 internacionalizações nas selecções jovens. É um talento precoce, tendo começado a jogar aos sete anos no Trofense, transferindo-se aos 14 para o FC Porto.

Nuno Coelho (médio-defensivo)

O basquetebol foi a primeira modalidade que praticou, mas aos 12 anos deixou os cestos e mudou-se para o futebol. Deu nas vistas no Covilhã e despertou mesmo a atenção de José Mourinho. O FC Porto conseguiu ficar com ele e agora, aos 17 anos, é uma das esperanças do futebol português. Gosta de jogar sozinho à frente da defesa, assumindo o papel de um trinco moderno, com técnica de passe e visão de jogo. Adriaanse também o tem debaixo de olho.

Bruno Gama (extremo-direito)

O FC Porto contratou-o ao Braga por uma pequena loucura. O jogador não acusou o peso da responsabilidade e assume-se como um dos talentos da equipa secundária. José Couceiro chamou-o à equipa principal na época passada e jogou mesmo com o Leiria. Jogador de finta explosiva, pode jogar nas alas ou no meio-campo como organizador de jogo, pois foi neste lugar que fez quase toda a formação.